Vá de Férias ao Alentejo de Bicicleta e Descubra um Portugal Intacto

Ao Alentejo está associado um estereótipo que caracteriza a região e os seus habitantes como vagarosos e amantes de um estilo de vida tranquilo. Verdade ou exagero, a velocidade lenta da bicicleta é uma ótima forma de conhecer a região, desfrutar a natureza e passar férias saudáveis e até mais económicas. A região já possui uma rede considerável de ecopistas, o trânsito automóvel é diminuto e a cada passo se encontram vilas históricas, castelos bem preservados e paisagens deslumbrantes.

De Troia a Lagos

São quase 200 quilómetros, entre a península do “outro lado” do Sado, em frente a Setúbal, até ao Algarve. Pelo caSTANTAMARIAFEIRAminho, passamos pelas praias de Comporta e do Carvalhal, pela cidade de Santo André (um caso de planeamento urbanístico único em Portugal) e pela lagoa com o mesmo nome. Sines é um centro industrial onde a História ainda está bem presente e que recebe anualmente o Festival de Músicas do Mundo. Depois, entramos já no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e da Costa Vicentina, povoado de praias desertas e quase desconhecidas, pontilhado de pontos turísticos pequenos e não massificados, como Milfontes, Porto Covo ou Zambujeira do Mar.

À volta de Évora

Património Mundial da Humanidade, a cidade de Évora apresenta uma densa rede de ciclovias. Siga pela ecovia do antigo ramal ferroviário de Mora para visitar o famoso Fluviário desta vila. No caminho, pare em Arraiolos e veja como se fazem os célebres tapetes. Já os Percursos Ambientais o levam a conhecer o Aqueduto da Mitra, o Convento de Bom Jesus de Valverde ou o Cromeleque dos Almendres.

Serra de S. Mamede

Para quem procura um desafio desportivo exigente nas suas férias, ele começa nas ruínas romanas de Ammaia, em S. Salvador de Aramenha, e termina nas alturas de Marvão, a cerca de 850 metros de altitude. Se fosse uma etapa da Volta a Portugal em Bicicleta, seria tão exigente como a Sr.ª da Graça. Veja a panorâmica sobre Espanha e o Alto Alentejo, e daí pedale até Castelo de Vide, a “Sintra do Alentejo.”