Introdução à Gastronomia do Alentejo

A gastronomia é um dos pontos fortes de uma visita de turismo ao Alentejo. Para quem vem pelos vinhos e procura fazer enoturismo, quase se diria que a refeição é um mero complemento, mas vale apenas abrir os sentidos e experimentar em profundidade o que a região tem para oferecer. Façamos uma breve introdução, em forma de síntese, sobre o que se pode encontrar nesta região meridional:

Temperos: poejo, alho, coentro

Omnipresentes na cozinha alentejana, ainda que não exclusivos da região, estes temperos emprestam-lhe o sabor.

Não se perca nas entradas

Terá à sua frente queijos frescos ou secos, juntamente com azeitonas grandes e sumarentas. Não exagere ou perderá o apetite para a refeição!

Açorda e gaspacho

Suspeita-se que, no tempo dos Rimages (2)omanos, o clima alentejano fosse menos seco e a terra mais facilmente fértil. Porém, nos últimos séculos, os alentejanos aprenderam a combater a relativa dureza da terra, reciclando o mais possível. Aos olhos dos gastrónomos sofisticados, a açorda perde no “confronto” com iguarias francesas ou italianas; porém, a combinação do pão na sopa com um ovo cozido, o melhor azeite e os temperos acima referidos conseguem um sabor delicioso. Pode ser complementada, consoante o cozinheiro, com um ou outro legume e umas lascas de bacalhau. No mesmo sentido, o gaspacho junta hortaliças diversas, como o pepino e o tomate, para fazer uma sopa fria que é o melhor alimento quando o termómetro ultrapassa os 35ºC.

Da terra ao mar

O Alentejo parece estar de “costa” voltadas para o mar, mas o certo é que a carne de porco à alentejana acrescenta amêijoas, de forma graciosa, enquanto o bacalhau está tão presente aqui como no resto do país. O gaspacho casa bem com petingas ou carapaus fritos.

Carne

Do ensopado de borrego às migas com carne de porco, do cabrito de Aljustrel ao peru recheado, a oferta é muito diversificada.